Onde nasceu o pudor?

Uma poderosa ferramenta de dominação social é a repressão do corpo através de ameaças espirituais. É natural do ser humano formar comunidades que facilitam sua sobrevivência, e dentro das sociedades, também é natural termos líderes. O problema é que nossas comunidades e sociedades cresceram muito e com isso fica cada vez mais complexa a disputa pela liderança desses grupos. Uma das formas mais antigas usadas pelos líderes para adquirir mais controle e poder enfraquecendo a maioria foi a castração do prazer. Com argumentos religiosos, líderes e sublíderes, antigos e atuais, criam ameaças sobre práticas que teoricamente não seriam aceitas por dogmas místicos.



Poucos povos manteram-se livres quanto a genitarização do corpo, ou ao pudor. Mas não precisamos ir longe para comprovar o quanto repressão em relação a questões de prazer e reprodução da espécie podem ser nocivas para nossa psiqué. Sigmund Freud foi o primeiro corajoso médico a fazer a seguinte afirmação: "Todas as patologias mentais tem origem sexual". Mas isso já estava na cara! Basta observar. Há relatos de índios brasileiros que reagiam com espanto ao assistir a forma com que o homem branco se expressava sexualmente. Achavam agressivo com a mulher. A cena mais parecia uma briga que um ato de prazer, carinho e amor. E a origem desse descompasso vem da repressão do corpo, do pudor.

Mas de verdade não nos interessa tanto quando nasceu o pudor no mundo, e sim quando nasceu em nós! Não é incomum ver mães e pais educando as crianças a reprimirem sua sexualidade. Não é minha intenção aqui questionar isso, mas sim pensar nos adultos. O que a repressão nos diminuiu e diminui? Será que tenho energia contida? Será que desfruto de todo prazer que tenho acesso sem barreiras mentais? Quando senti constrangimento por um desejo?

A melhor ferramenta para essa e outras questões é a terapia tântrica. Ela ajuda a retirar repressões, em um profundo processo de entrega e aceitação. Algo que mexe com a gente e nos faz nos expressar. Algo que liberta, e com isso abre novas possibilidades. Uma terapia que toca em um eixo nosso muito profundo, tocando o prazer e refletindo em todas as atividades da nossa vida.

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo